D. Gasparina

Em 1962, foi selecionada pela Secretaria de Saúde e Educação do Estado de Pernambuco para fazer o curso de Higiene Dentária à Criança no Centro de Saúde João de Barros Barreto, em Olinda.

Em 1963, a convite, exerceu as funções de auxiliar de Secretaria do Médico Chefe do Ambulatório do João Murilo de Oliveira, o Dr. Jorge Feliciano de Albuquerque.

De 1967 a 1975, lecionou em turmas de 1ª a 4ª séries, no Grupo Escolar e na Unidade Integrada de Ensino de Primeiro Grau do Território Federal de Fernando de Noronha.

De 1977 a 1983, lecionou em turmas de 5ª a 8ª séries, no Ginásio e depois Colégio Municipal Onze de Dezembro, em Pombos.

De 1979 a 1983, a convite do prefeito José de Barros Prado (Tinda), foi nomeada Diretora do Órgão Municipal de Educação de Pombos – função hoje denominada de Secretária – pela primeira vez.

Em 1980, como Diretora do OME (Órgão Municipal de Educação), implantou O Histórico Escolar, o Boletim de aproveitamento dos alunos e o Calendário Letivo nas escolas ditas Primárias, até aquele momento, inexistentes nas unidades escolares do ensino de 1ª a 4ª séries do município.

Nos anos de 1980 e 1981, ministrou aulas de Estudos Econômicos e Sociais do Nordeste, Desenho e Ensino Religioso, no Curso de Técnico em Contabilidade no Colégio Municipal Onze de Dezembro.

Em 1982, orientada pelo Secretário de Educação do Estado, o Professor Joel de Holanda Cordeiro, a fim de habilitar Professores Leigos da Zona Rural, trouxe para Pombos, o LOGOS II (Curso de Formação para o Magistério, à Distância). Essa ação provocou um grande avanço na educação formal do município, elevando o nível do quadro de professores e melhorando a qualidade do ensino/aprendizagem rural.

Nos anos de 1981 e 1982 e de 1992 a 1994, ministrou aulas de Didática, Educação Pré-Escolar, Diretrizes para o Ensino de Primeiro Grau e Metodologia da Língua Portuguesa no Curso de Formação para o Magistério, no Colégio Municipal Onze de Dezembro.
De 1983 a 1988, fora do município de Pombos, atuou no Departamento Regional de  Educação – DERE Mata Centro.

Nos anos de 1989 a 1991, prestou serviços como Educador de Apoio, na Escola Estadual Capitão Manoel Gomes d’Assunção, em Pombos.

De 1990 a 1997, foi Secretária de Educação Municipal, nas gestões dos prefeitos Eugênio Maurício de Melo e José João da Silva, dois períodos consecutivos.

Em janeiro de 1995, acionou junto a Prefeitura, para que o Hino Municipal, Aspiração de Pombos, fosse oficializado, fazendo os primeiros ensaios de canto sob a regência do Maestro Climério Paulo de Oliveira Filho, autor da melodia; ensaios gravados em fitas, e cantado pela primeira vez.

De 1997 a 1999, exerceu as funções de Diretora de Turismo do Município, posta a disposição para escrever o Livro “Padre Lalau” Uma Biografia e desenhar os retratos dos ex-prefeitos para compor a Galeria dos Prefeitos.

Em 1999, participou do projeto e edificação da escultura do Cristo do alto da Serra dos Canoés ou Serra do Cruzeiro.

Em fins dos anos 1999 e a 2000, assumiu a Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Município, quando foi dado início aos trabalhos de reconhecimento e gestão da Bacia do Rio Tapacurá.

De agosto de 2001 a outubro de 2002, ocupou a posição de Diretora do Ensino e da Cultura de Pombos. “Neste último, deu início às pesquisas de sua maior obra, ‘Pombos Sua Terra Sua Gente” – em fase de acabamento – 12/2012.

literatura, cultura e evolução

Em julho de 1979, iniciou as pesquisa sobre lendas, fatos históricos e geográficos do município de Pombos.

Em 1980, imprimiu, em mimeografo a álcool, e distribuiu entre os professores de 1ª a 4ª séries, o pioneiro conjunto de conteúdos escritos da História Municipal.

Em 1996, com o apoio da EMATER – PE lançou seu primeiro livro de Historia de Pombos, intitulado de “DESCUBRA POMBOS”. Uma simples obra, de apoio didático, onde figura mínimos detalhes da imensa História de Pombos, a ser resgatada e divulgada.

No ano de 2000, incentivada pelo Padre Paulo Augusto, pesquisou e escreveu sobre Pombos, incluindo neste trabalho parte da vida eclesiástica e civil do saudoso Padre Lalau. Uma obra ilustrada, composta de 170 páginas, intitulada “PADRE LALAU” Uma Biografia. Esta foi impressa 500 exemplares com recursos próprios e lançada a público em janeiro de 2009, nove anos depois de concluída. Cerca de trezentos destes exemplares estão empacotados a espera de leitores interessados. Uma belíssima Obra. Acha-se a venda na Igreja Matriz e no Armarinho Opção, na rua do Comércio, em Pombos.

Em 2002, quando diretora de Cultura, impulsionou suas pesquisas dando início ao seu maior trabalho: no presente momento esta obra já se aproxima de 280 páginas em tamanho A5; registra fatos da história de Pombos, desde mil anos antes a 1738 até os dias atuais. Será intitulado de POMBOS, SUA TERRA, SUA GENTE.

Em 2004, escreveu uma poesia composta de 119 quartetos, também sobre história de Pombos, intitulada de “POMBOS NA RIMA DO TEMPO”. Pombos na Rima do Tempo é uma pequena obra, livro de bolso, composto de apenas de 44 páginas. Ainda não impressa, nem divulgada.

EM 2006, dedicou uma parcela de seu tempo pesquisando sobre um ser lendário da zona canavieira de Pombos e compondo um folheto. Uma obra no estilo Literatura de Cordel. “O PANTEL DA MATA”. O Pantel da Mata é uma lenda columbina, registrada, reconhecida legalmente como de Pombos. O cordel, também impresso com recursos próprios e lançado ao público no mesmo ano. Acha-se à venda no Armarinho Opção.

Em 2006 e 2007 escreveu e publicou os Cordéis: O Tesouro da Cigana, A Herança do Capitão Kidd, O Reino da Alamoa Encantada, O Gigante da Sapata e A Imagem do Capeta. Todos inspirados em lendas ou fatos de Fernando de Noronha.

Em 2011 – Estão em fase de acabamento mais três Cordéis: O Chefão e a Patroa, O Cajazeiro Mau-Assombrado e O Padre da Cacimba. Também inspirados em fatos ou lendas de Fernando de Noronha. Tem um acervo de cerca de cinquenta poesias, escritas ao longo da vida, já digitadas e apostiladas, em fase de organização, intitulada de “Retratos da Alma”.

Obs.: abaixo segue matéria do blog do Pilako

Dona Gasparina, ao centro, em posse na Academia Vitoriense de Letras, Artes e Ciência

A Academia Vitoriense de Letras, Artes e Ciência que tem como presidenta a professora Severina Andrade Moura, deu posse, no dia 14 de abril, no teatro Silogeu, aos seus novos acadêmicos: Gasparina Pereira de Miranda, Rafael Augusto de Oliveira, Savana Tavares dos Santos e Serafim Lemos que ocuparam as cadeiras vacantes que tem, respectivamente, como patronos: José Augusto Ferrer de Morais, Demócrito de Olinda, Aluísio de Melo Xavier e João Cleofas de Oliveira. Bom público prestigiou a bela solenidade que congregou os intelectuais vitorienses amigos das artes.

Foi uma sessão simples, mas cheia de ardor e vibração. A sessão foi aberta com a execução do Hino Nacional, seguido de rápidas palavras da presidenta. Na sequência, o acadêmico Pedro Ferrer, que teve sua noite de mestre de cerimônia, convidou a acadêmica Lúcia Martins para fazer a apresentação dos novos imortais que subiram ao palco para prestarem o juramento de fidelidade ao estatuto e ao regimento da Academia, seguido da outorga dos diplomas e dos fardões. Empossados, cada acadêmico teve a oportunidade de prestar uma homenagem ao seu patrono e de esboçar sua alegria e satisfação de ingresso na ostentosa Academia Vitoriense de Letras, Artes e Ciência.

Com seu espírito jovial e leve sainete irônico a presidenta prognosticou, em sua elocução derradeira, o sucesso da Academia, que não está inerte, apesar das defecções, sempre lamentadas, de alguns companheiros de início de jornada. Cantou-se, no final, o Hino da Vitória. Um delicioso coquetel foi servido aos presentes. Mereceu destaque a saudação da acadêmica Gasparina Pereira de Miranda ao seu patrono José Augusto Ferrer de Morais.

Fonte: http://www.blogdopilako.com.br/wp/2012/04/18/novos-academicos/

______________________________________

Resumo biográfico 

http://www.flipsnack.com/A7A9E67EFB5/fdtpf7zv – Parte I

http://www.flipsnack.com/A7A9E67EFB5/fdc9sx17 – Parte II

http://wp.me/PH88K-11h – modelo gerencial para bandas de música

Anexo IV  –  matéria extraída do blog Pilako, sobre o trabalho intelectual desenvolvido por nossa presidente Gasparina Pereira de Miranda na Academia Vitoriense de Letras, Artes e Ciência.

Anúncios